NÃO SABEMOS OUVIR

Infelizmente, todos os dias enfrentamos uma situação bastante comum em nossas “conversas”, sejam elas através da fala ou da escrita: ninguém escuta a ninguém! ninguém lê o que o outro escreve. Escutamos somente o que queremos ouvir, lemos apenas o que queremos ler.

Uma das piores coisas que pode haver em um diálogo é o fato de não estarmos dispostos a realmente escutar o que o outro tem a nos dizer. Isso acontece, por exemplo, quando antes mesmo de a pessoa com quem conversamos terminar de falar e nós já começamos a maquinar uma resposta ou argumentação com a finalidade de defender-nos ou mostrarmos que temos conhecimento sobre o assunto.

Ao fazermos isso somos desonestos e falsos com nosso próximo. Se estamos dispostos a ouvi-lo, pois então devemos realmente OUVIR; o mesmo vale para a leitura. E isso deve ser feito sem filtros. Devemos estar com a mente desimpedida para realmente tentar entender o que está sendo dito. Escutar, ou ler, sem filtros significa que deixaremos de lado a nossa “bagagem intelectual” e entraremos em sintonia com o falante ou escritor. Só depois, feita uma boa reflexão, consideraremos o que realmente entendemos e selecionaremos o que é importante (importante não para nós, mas para a compreensão do assunto em questão).

Em se tratando do nosso aprendizado, isso tem um peso enorme. Geralmente, quem vive com filtros mentais e não escuta a ninguém jamais será capaz de atingir patamares  intelectuais superiores aos do presente. Pessoas que não sabem ouvir nem ler absorverão apenas aquilo que condiz com a sua linha de pensamento. Isso é péssimo! Devemos estar abertos às novas opiniões. Somos seres subjetivos, nossas experiências são relativas à nossa existência – e vice-versa. Descartar imediatamente as opiniões e experiências dos demais pode significar uma vida estamental, podemos nos tornar conservadores e, porque não, radicais e fundamentalistas.

Não sabemos de tudo. Melhor, jamais saberemos de tudo. Logo, não faz sentido acreditar que aquilo que aprendemos em nossa curta vida é a verdade absoluta de todas as coisas. Olhe para os lados, escute aos demais, tente compreender o que estão dizendo, reflita, questione-se, busque informações, some suas experiências e, então, forme uma opinião pessoal. Não há nada de errado se, após seus 20 anos de vida – por exemplo -, a partir de uma conversa você descobrir que sempre pensou algo que não faz sentido. Pelo contrário, isso é positivo, pois você está em transformação. Não há idade para mudar de ideia, não há idade para o crescimento humano.

Quem sabe ouvir tem a mente expandindo-se a cada contato, quem tem a mente em expansão, cresce como ser humano!

Andreone Teles Medrado
Devaneios Filosóficos

 

#VocêJáParouParaPensar?