“Eu sonhei com um filme em que a força das palavras ampliasse a beleza do mundo. As pessoas me falaram de tudo; das dificuldades de crescer, do amor e da felicidade. E é toda essa riqueza que é o centro do filme HUMAN. Esse filme representa todos os homens e mulheres que me confiaram suas historias. O filme se tornou o mensageiro deles.”

Yann Arthus-Bertrand

 

O que nos torna humanos?

Porque fazemos o que fazemos e vivemos o que vivemos?

O documentário Human (Humano) é uma produção maravilhosa do francês Yann Arthus-Bertrand que supera todas as formas de apresentação das principais questões humanas.

Yann Arthus-Bertrand

Cenas que tiram o fôlego e arrancam suspiros até mesmo dos expectadores mais exigentes; as imagens são encantadoras, com abrangência mundial. No entanto, essas são as características mais simples deste belo recorte do que é ser humano. Acredite, o mais impressionante é o fato de você receber de variados pontos de vista uma definição para cada elemento fundamental na sobrevivência humana. Tais respostas encontram-se nas “entrelinhas“, na somatória de depoimentos impactantes, que pode nos levar ao mais elevado estado de consciência reflexão.

Entre outros, documentário aborda temas que muitos de nós vivemos, mas que pouco buscamos entendê-los, por exemplo:

*Amor
*Trabalho
*Pobreza
*Riqueza
*Guerra e Morte
*Trauma de guerra 
*Medo
*Perda de esperança
*Ressentimento 
*Violência
*Homossexualidade & Preconceito
*Família 
*Morte
*Felicidade
*Educação 
*Preconceito 
*Injustiça 
*Imigração 
*Corrupção 
*Sentido da Vida 
*Mensagens ao Mundo

Após assistir aos 3 volumes de HUMAN  você nunca mais enxergará e/ou interpretará o ser humano da mesma maneira. Somos diversos, vivemos nossas angústias e nossos terrores, sentimos nossos prazeres e nossas libertações, mas raramente imaginamos que mundo afora existem outros mais de 7,6 bilhões de humanos que também vivem suas histórias. É preciso encarar o outro como alguém diferente fenotipicamente, mas entender que essa diferença é natural, que ela não é negativa. Na verdade, essa diferença, socialmente, “não faz diferença”. Quando enxergamos além da cobertura biológica percebemos que no mais íntimo dos seres humanos existe uma fagulha de questionamento, uma brasa candente que busca pelo sopro da Fraternidade, do Amor e da Bondade. Só então percebemos que apesar da diversidade biológica, somos muito parecidos psicologicamente. Buscamos pelas mesmas coisas, lutamos, choramos, cansamos, insistimos, desistimos, todos tornam-se comuns em essência.

Enfim, tudo que eu disser será pouco diante do que você pode encontrar no documentário. Não deixe de assisti-lo! É uma riqueza de conhecimento. Veja você mesmo como diferentes pessoas entendem cada assunto da nossa vida e, principalmente, como cada uma delas respondem à Vida. Todos à sua maneira singular buscam uma resposta universal para a grande questão: O que nos torna HUMANOS?

 

Assista ao Trailer:

 

 

#WhatMakeUsHuman

#VocêJáParouParaPensar?

 

Andreone Teles Medrado
Devaneios Filosóficos